Dr. Pedro Henrique

Profissional especializado em Urologia Minimamente Invasiva e Laparoscopia.

One Clinic – The Office
Av Mário Ypiranga nº 315 sala 1404
(92) 3231-1354 / 99351-5600

Mais Clínica – Cristal Tower
Av. Jor. Umberto Calderaro 455 Sala 201
(92) 99100-4500 / 3532-0535

videolaparoscopia

Retirada do rim por videolaparoscopia – Como é feita?

A NEFRECTOMIA é o procedimento cirúrgico para remover o rim ou parte dele.

Na nefrectomia radical: o cirurgião remove todo o rim.

Na nefrectomia parcial: o cirurgião remove apenas a parte doente do rim, preservando o tecido renal saudável.

A principal indicação de nefrectomia é o câncer de rim, mas esta cirurgia também é feita para remover rins seriamente danificados por cálculos urinários ou outras doenças.

Atualmente temos realizado a grande maioria das Nefrectomias pela técnica Videolaparoscópica, através de incisões pequenas no abdome por onde são colocados os instrumentos cirúrgicos. Evita-se assim a cirurgia à céu aberto com grandes cortes. A utilização de tecnologia HDMI e de instrumental cirúrgico moderno minimiza a chance de complicações intra-operatórias (clique aqui para saber mais).

Nefrectomia VLP

Figura 1. Nefrectomia videolaparoscópica: representação esquemática.

Quanto é feita a remoção total e quando é feita a remoção parcial do rim?

Isto depende da doença do paciente e do julgamento do cirurgião em cada caso. Quando o rim já não funciona porque foi danificado por litíase urinária ou por infecção crônica, a retirada de todo o órgão se faz necessária, assim como naqueles casos em que é imprescindível retirar por completo um tumor renal muito grande.

Por outro lado, em casos de câncer renal menor ou outras doenças que acometam apenas uma parte do rim, pode-se fazer a Nefrectomia parcial, também por Vídeo-laparoscopia.

Como o rim, que é um órgão grande, é retirado através dos “furinhos” da laparoscopia?

O cirurgião faz uma incisão de cerca de 8-10 cm na parte de baixo do abdome igual àquela que é feita na cirurgia cesariana para remoção do bebê. Esta incisão não costuma causar dor intensa pois não secciona músculos ou nervos, apenas os afasta. Tem a vantagem de ficar coberta por roupas íntimas e pelo biquíni.

Quantos dias de internação são necessários?

O tempo médio de internação dos nossos pacientes é de 2 dias. Mas isto varia e depende das condições clínicas do paciente antes da cirurgia, da cirurgia em si e da velocidade de recuperação pós-operatória.

Quais as vantagens da Nefrectomia por Vídeolaparoscopia?

A Nefrectomia Vídeolaparoscópica é hoje considerada a melhor, o chamado padrão-ouro, para a remoção do rim, excetuando-se, é claro, aqueles casos em que a mesma não é factível (estes casos hoje são pouco frequentes e constituem uma exceção).

Diversos estudos na literatura médica com seguimento de milhares de pacientes por um tempo superior a 10 anos demonstraram as seguintes vantagens:

– Menos dor no pós-operatório

– Menor necessidade de uso de remédios analgésicos

– Menor tempo de hospitalização

– Retorno mais rápido às atividades profissionais

– Menor tempo de convalescença

– Menor chance de hérnia ou de infecção de ferida operatória

– Resultado estético superior.

Há um risco maior de o câncer renal voltar por ter sido retirado por Laparoscopia?

Nos anos 90, quando foram feitas as primeiras Nefrectomias Videolaparoscópicas, este era um receio dos cirurgiões. No entanto, hoje já está amplamente provado, por estudos com dezenas de milhares de pacientes, que os resultados oncológicos da cirurgia Vídeolaparoscópica são equivalentes à cirurgia aberta. Em outras palavras, a chance de voltar é a mesma.

Quais são os riscos da Laparoscopia?

Os principais são:

  • Lesão de intestino, estômago ou vasos sanguíneos durante a introdução dos instrumentais.
  • Sangramento durante a cirurgia e necessidade de transfusão de sangue.
  • Necessidade de conversão para cirurgia aberta.

Hoje, são todos infrequentes, ocorrendo de modo combinado em menos de 5% dos casos.

Post a Comment